Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por Lazy Cat, em 05.08.07
... Os olhos procuram-se cúmplices e inquisitivos
as mãos encontram-se, numa resposta muda.
Olham uma última vez para este lago onde
têm vivido e sonhado e,
em conjunto rumam ao desconhecido,
deixando atràs deles um rasto de brilho gelado.




A Humanidade, como sempre foi entendida, já não existe.
Resta um planeta semi-vazio, alguns lugares habitáveis e habitados,
por quem no conhecimento e no sonho evoluiu e ficou.

Tudo aquilo de que se lembram, que conhecem e dão por certo,
fruto de guerras e pseudo descobertas, acabou.

Na persecussão de um bem maior e comum, os Terrestres abriram a
porta a um desconhecido que os mudou profundamente e quase os destruiu.

A maior parte sofre sofre uma mudança constante do corpo, tentando
manter faculdades, tentando manter pensamentos coerentes.
Vivem no País do Norte, eternos mutantes, afastados dos outros
por um escudo de luz.
Outros vagueiam, seres impalpáveis, que não pesam nem respiram.
Entregues às correntes dos ventos, exércitos etéreos
que ninguém conduz.

Resta um semblante de mundo....
São poucas dezenas. Cientistas. Criadores. Sonhadores.
Reunidos na Terra de Fogo, protegidos dos incêndios relâmpago
pelas águas gélidas e profundas do lago.

Dentro desta cúpula, existe o mundo de que se lembram.
Relva, macia debaixo dos pés.
Algumas flores, uma horta.
As cores não são as mesmas, mas os olhos que as vêm também não.
Os pés que pisam a relva fazem-no por querer e, o que outrora era
alimento, agora é apenas fonte de prazer.

Este é o povo de luz. As mentes inquietas, repletas.
Aqui está toda a capacidade de pensar, imaginar, descobrir e realizar.
Todas as possibilidades. A única opção.
Os únicos, neste novo mundo atormentado que se mantêm.
Estáveis. Por enquanto. Num universo mantido assim, agora sim,
para o bem de todos, pelo esforço de apenas alguns.

Aqui, vive-se de solidariedade entre todos os seres,
de cumplicidade entre alguns.

Já são tão poucos....e vão ficar menos ainda.
Porque um dia alguém sonhou voltar ao nascimento do mundo.
Ao dia em que se semeou na Terra, o que a transformou e lhe deu vida.
Mas também o que a estabilizou. A esperança....para quem ficou.

A Terra de Fogo é apenas mantida.
A energia de todos já quase não chega e assim...

partem dois, Cientista e Sonhadora, num derradeiro esforço, para muitos
companheiros, procurando na ainda ausência aquilo que será para todos,
a essência de uma nova vida...

publicado às 20:10


13 comentários

De gata a 07.08.2007 às 02:30

Lobo...não acredito muito em destinos marcados. Não individualmente...se bem que o futuro deste mundo está irremediávelmente marcado!
Por nós...

Um beijo...de gata...

De gata a 07.08.2007 às 02:27

poeta...vagabundo...

Haverá um mundo real? ;)

beijo

De gata a 07.08.2007 às 02:26

Mestre,
o futuro que eu vejo, precisamente por depender de nós, é assustador.
Mais ainda para os sonhadores...

Mais uma vez, obrigada...

De gata a 07.08.2007 às 02:25

Árabe...o futuro depende, sim , de nós...felizmente!

Agradeço a visita.
Boa semana...

De gata a 07.08.2007 às 02:23

v.a.d
utopia da solidariedade...
utopicamente espero, que algum dia, à semelhança de outros seres, os humanos também aprendam...

Um beijo...cúmplice! :)

De gata a 07.08.2007 às 02:17

You know who...Signez vos commentaires comme vous voudrez, ce nom qui n'en est pas ne me dérange en rien...

Gosto de saber que passa por aqui.
Saborear palavras...as minhas!
Ora aqui está uma daquelas coisas que nos enchem a alma...
Boa semana, cheia de palavras bonitas, que não apenas minhas...

De V.A.D. a 06.08.2007 às 23:44

O mundo que criaste, envolveu-me... Senti-me lá, senti as águas gélidas do lago profundo, senti a utopia da solidariedade e o calor da cumplicidade. Senti a imaginação, que opera maravilhas...
Lindíssima, esta tua incursão pela ficção científica...

Um beijo...

De V.A.D. a 06.08.2007 às 23:41

O mundo que criaste, envolveu-me� Senti-me l� senti as �guas g�lidas do lago profundo, senti a utopia da solidariedade e o calor da cumplicidade. Senti a imagina�o, que opera maravilhas�
Lind�ssima, esta tua incurs�o pela fic�o cient�fica�

Um beijo�

De you know who a 06.08.2007 às 16:36

Há textos que nos confrontam com um futuro que não nos aquece a alma, e se este mundo que conhecemos e por vezes nos esquecemos de amar de repente muda? Abandonamos os pormenores, não nos quedamos neles, não os apreciamos devidamente quando tudo tem um sentido que por ínfimo que seja pode fazer tanto sentido na alma em determinado instante, aprecio-lhe mais os poemas Lazy Cat, são realmente exuberantes de beleza e profundidade.

Não incomoda que continue a assinar assim, n'est pas?

Boa semana, gosto mesmo de vir por aqui saborear as suas palavras, pedoe-me a ousadia...

De PP a 06.08.2007 às 16:26

O Futuro a cada um de nós pertence, embora o destino esteja, por si só, marcado... Sonhar um dia com um futuro melhor, como dizia John Lennon em "Imagine"

Bjinhos, boa semana

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog