Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DIsABafO

por Lazy Cat, em 29.06.12

 

 

Achava que já tinha chorado tudo.

Mas afinal parece que não. Quem me dera…. 

Quem me dera que houvesse um caminho, Uma forma, um meio, fosse qual fosse,

De te tirar definitivamente de mim. Porque eu ainda te amo e ainda te quero

Mesmo não te querendo e sabendoQue não há por onde nem como nem porquê

 Quem me dera que houvesse, magia, fosse Ela branca ou negra, capaz de te apagar,

Te extirpar de mim, ainda que parte de mim Sem ti, morra…

 Porque eu ainda te vejo e falo contigo Nesta loucura de não te querer, neste silêncio

De tudo o que não ouves e te digo, nesta guerra Do que quero e não posso fazer…e sofro

A dobrar, por não estar contigo E novamente por não o querer…

 Quem me dera que o Diabo existisse E me pudesse ouvir, eu hoje troco, dou tudo,

Deixo de ser quem sou, dou a alma, o corpo, A pele e tudo o que me faz ser quem sou

para nunca me ter cruzado contigo…

 Porque eu já não te quero querer, estou Cansada de te ter aqui. Deixa-me. Não te

Lembres mais de mim. Não me queiras. Não me queiras bem. Não me queiras mal.

Não penses em mim. Porque eu ouço-te. Sempre te soube ouvir pensar.

 Quem me dera nunca o ter feito. Nunca ter Querido perceber. Não saber melhor que tu

Cada dia e cada porquê. Quem me dera ter Ignorado tudo. Ser aquela em que me quiseste

Fazer….  

Porque eu já não consigo e não quero mais. Não quero mais lembrar-me do teu sorriso.

Só me quero lembrar do ódio nos teus olhos. Não me quero lembrar dos teus abraços.

Coração com coração, como a tua mulher te ensinou. Só me quero lembrar das tuas palavras horríveis.

Não quero mais lembrar-me de acordar contigo Só de todas as noites em que não dormi

E que tu passaste com outras. Não me quero mais lembrar de dormir agarrados

Nem do cheiro da nossa roupa Só me quero lembrar que és feliz e o gritas a céu

Aberto. E que essa felicidade é com outra. Quem me dera, no meio de tudo isto, NUNCA

Me ter cruzado contigo. Porque eu acredito. No Amor como caminho.

E sei. E tu sabes. E não há como desfazer isto. E quero quebrar este fio invisível que nos liga

 Quem me dera que ADEUS tivesse de facto, Um peso definitivo e não fosse este sofrer

Este definhar lento e aflitivo. 

Sim, eu hoje vendia a minha alma ao diabo.

Por um abraço teu.

Ou por nunca me ter cruzado contigo! 

publicado às 11:59

-das adeus-

por Lazy Cat, em 27.06.12

 

Lembro-me de ter lido, mas já não sei onde, algo sobre a saudade.

Alguém escreveu que, ao invés de matar saudades, a saudade deve

ser alimentada, sentida, ampliada. Porque afinal ter saudades é ter

alguém de quem se gosta e que está, momentaneamente, distante.

 

Alimentar a saudade. Como se ela não fosse já enorme e tomasse conta

de tudo!Alimentar algo que já preenche todo o espaço que o Amor não

consegue e que se infiltra devagar, inimigo insidioso, entre partículas

desprevenidas e abre caminho lenta e certeiramente até um coração que

já não quer bater mais…

 

A cada bater entra saudade. E a saudade aumenta.

E não se deixa a saudade a bater à porta…

 

Por isso guardo e trago comigo todos os dias as piores palavras que de ti

algum dia li. Para que cada bater de saudade se transforme em distância e

cada espaço entre partículas se preencha de amor e saudade…de ter saudades.

 

De ter para onde voltar. Com quem rir. Com quem sonhar.

De pés que fazem o mesmo caminho, não porque estão juntos,

mas porque é este o trilho…Saudade de ter saudade de ficar

só mais um bocadinho....

 

Saudades de confiar. Saudades de acreditar. Saudades. De querer amar. 

 

Sim, afinal é bom ter saudades.

Há coisas, pessoas e momentos de que vale a pena ter

 

 

 

 

 

A escolha da música...estava complicada! Make you own choice!

 

Keane - somewhere only we know

 

The Corrs - Dreams

 

Texas - Say what you want

 

 

or maybe.... Je te Promets - nesta versão ou na versão original e incontornável

 

 ou então eu queria mesmo dizer era.... Reprendre c'est voler

 

 

et voilá!

publicado às 17:17

Depois

por Lazy Cat, em 25.06.12

 

Depois de quê?

Depois de quem?

Depois?

O que foi o antes?

Quem foi?

Que marcas deixou

No corpo, na alma?

O que se estragou?

O que perdeste antes

que não te deixa andar para o depois?

Depois?

E agora?

O agora é só isto. A espera latente,

A espera, interminável, intermitente.

Os caminhos

As escolhas.

A cada passo, a cada escolha, escolhi

Amor. Sempre. Sem nunca hesitar.

E agora?

Agora? Recolhem-se os fragmentos

De todas as ilusões, de todos os sonhos

De todas as memórias…

E agora?

Agora seria tempo de acreditar

E depois? 

 

publicado às 11:59

Lightdust

por Lazy Cat, em 22.06.12

 

 

Reaching me, the words seemed to float on the air for a moment,

then they fell, as falling shining stars all over us, leaving traces

of light in that darkest night…

What happened so those terrible words instead of harm brought

enchantment and quietude to my heart…?

 

 

 

 

 

 

Some would say love defeats evil in any way…

publicado às 11:59

ok, eu confesso

por Lazy Cat, em 19.06.12

 

 

Gosto

de ser mapa dos teus sentidos

Dos teus gritos roucos

Dos nossos corpos despidos

 

Gosto

de adormecer  cansada

Ainda ofegante e já esfomeada

 

Gosto

desta cama desfeita,

Cúmplice perfeita

De cada madrugada...  

 

Gosto...

 

 

 

 

Adoradordemulheres

 

 

comentário recebido hoje às 12:33

 

Tem piada, tem... Entrar no Lazy para te ler a falares daquilo que me parece um eu hipotético. E se não posso carnalizar a minha demanda, que te conquiste a mente numa caminhada tântrica, mas nem por isso menos libidinosa, fazendo com que cries o desejo intelectual que te leve a escreveres ainda melhor.
 
Os dedos das minhas letras acariciam-te as sinapses. A língua atrevida das minhas frases provoca descargas eléctricas nas dendrites. Beijo-te cada neurónio, mordisco-te o bolbo raquidiano. Explodes num orgasmo de luz e cor, digno de uma overdose de LSD, e libertas, em intermináveis marés de prazer cerebral, mais e mais frases deliciosas!

 

que saudades de gente que sabe escrever!!!! Obrigada. =^.^=

publicado às 11:59

...like the wind...

por Lazy Cat, em 14.06.12

 

Não gosto de ti porque o vento sopra

Seja de norte ou de sul, ou porque nem está vento.

Gosto de ti porque te conheço e sei o que tens dentro.  

 

Não é a cor dos teus olhos, o tamanho do teu dinheiro

é o do teu coração, onde cabe o mundo inteiro

 

Não é o calor da tua mão, os meus dedos nos teus,

é o calor do teu sorriso, que se espelha no meu.

 

Não gosto de ti por gostar, nem por querer, sequer

Tu és parte de mim,  aquela parte que me faz ser

 

Não gosto de ti quando sopra o vento leve, lento, quente

Gosto de ti sem regras, sem amanhã, ontem, sempre

Como o vento.

 

The Wind

 

publicado às 11:59

little drops

por Lazy Cat, em 11.06.12

 

Love drops

Sparkling in the alley

Under the moon

Where my heart keeps sailing…

 

Pequenas, serenas, ritmadas

Como brilhos risonhos de fadas

Macias, meigas, molhadas

Como eco distante de gargalhadas

 

Have I ever told you?

A pair of any kind

Always means they’re two…

 

Little drops sparkling on the floor

 

…                                    

publicado às 11:59

Esta noite

por Lazy Cat, em 10.06.12

feita de água e luar

sou fantasma de mim em silêncios de contar

 

Na memória do futuro dos sonhos que já esqueci

escrevi com letras de ontem o que hoje aprendi

das lágrimas doces ao estremecer do luar

entre pedras de caramelo e rios de saltar

na corrente sem destino de um coração-avatar

registo sem segredos de pedaços de lembrar

de vidas que se cruzam em caminhos que percorri

de silêncios que se escrevem em águas de mim

 

:-)

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 11:59

Raízes

por Lazy Cat, em 07.06.12

Enquanto da sua boca se escapava um suspiro entrecortado, os seus lábios, onde vinham desaguar dois grossos rios de lágrimas,

esboçavam meio sorriso. 

 

Como o tempo, o seu humor era instável, misto, cambiante. O dia ora generosamente quente ora francamente fresco e ventoso espelhava a desordem que sentia por dentro na perfeição, trazendo-lhe esta sintonia de modos de estar algum conforto.

 

Da janela via as árvores, sacudidas pelo vento, deixando cair uma ou outra folha, mas resistindo aos ataques constantes, à perfidia da mudança de direcção do vento, voltando a brilhar intendamente sob os raios quentes do sol para, novamente serem atacadas pelo vento, que talvez as julgasse agora mais indefesas.

 

Sorriu. Não é assim que as coisas funcionam na natureza, pensou. E naquele momento desejou ser árvore... 

 

 

 

 

Favola

publicado às 11:59

Five Spot after dark

por Lazy Cat, em 06.06.12


A whisper
a kiss,
piano notes
a closing bar
smoky smiles
juste un regard
wine red on your lips
one step left
then tap right
free your hips
take my arm
eyes still closed
loosen shoulders
just feel
give it a try
a kiss
a whisper
a sax song
closing the bar
three little steps
eye lashes
black
thank you for the music

barefoot walking
bye


 

Five Spot
after dark...

...

 

publicado às 11:59

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog