Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Conto de Natal

por Lazy Cat, em 14.12.07

Este conto começa por mão de mestre aqui.

 

Por iniciativa da menina Mnike.

 

Como se na velocidade encontrasse conforto ou resposta. Passou a mão pelo cabelo. Lembrou-se de ter descoberto recentemente algumas brancas. De lhe terem dito lhe davam charme. Charme…

 

A estrada sinuosa obrigou-o a abrandar, apercebeu-se da neve que caia devagar. Lembrou-se novamente da Teresa. Vinte anos. Uma decisão tomada de rompante. Pela lembrança de olhos brilhantes e cheiro a frutos silvestres naquela pele morena. Saiu do carro. Deixou que o frio se lhe entranhasse no corpo e na alma.

Não queria chegar muito cedo. Preferia que não o vissem ainda, que fossem os dela os primeiros olhos a ver os seus. Mesmo achando que tinha partido, que era demasiada esperança encontrá-la ali, sabia que se ia levantar cedo e percorrer mais uma vez aquele caminho. Por entre cerejeiras adormecidas e canteiros alvos.

 

A casa estava gelada. A porta ainda rangia exactamente da mesma maneira.

 

O calor da lareira enchia o ar. Trazia consigo cheiro a canela e a enchidos. A árvore resplandecia, coberta de luzes e bolas coloridas. Havia música, algures, vozes de crianças. Os gatos preguiçavam enroscados nos sofás, deitando um olhar distraído ao cão, que corria atrás da própria cauda, onde algum miúdo travesso tinha amarrado um guiso. As janelas estavam embaciadas, a mesa posta.

 

- Carlos! Finalmente! Já pensava que tínhamos de cear sem ti! Entra rapaz!

A casa afinal também é tua! Entra, vá! Despacha-te. A Teresa está na cozinha.

 

Deu um passo e entrou na grande casa escura e fria. Ninguém esperaria por ele neste Natal. Ninguém lhe saltaria mansamente para o colo, ninguém o cobriria de beijos. Apenas o esperava esta casa grande, escura e fria e a incerteza de um olhar quem sabe até distante, de alguém que ficou para trás quando resolveu seguir a vida…

 

Uma velha casa de montanha, coberta de neve e recheada de recordações pode ser um lugar muito vazio para ser procurarem razões….

 

Passo agora o testemunho a Zé Ceitil

 

publicado às 01:48


24 comentários

De mnike30 a 14.12.2007 às 08:06

Mna Gata,
Não sei se foi da música, não sei se foi do texto...
Mas tenho a certeza que foi deste conjunto ternurento, que fiquei de boca aberta ao ler.te!
Está lindo!
"Apenas... um olhar... de alguém que ficou para trás..."
Muito bom mesmo!
Mesmo! (Oubiste?)
Um sorriso enorme para ti e um muito obrigada pela tua parte!

Miau!

Valeu a pena a tua "preguiça"

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 08:22

Bah.....

A preguiça faz parte...sou gata e está frio!

Beijo de bom dia para ti.

De tugafixe a 14.12.2007 às 09:24

Excelente continuação! Eu consegui cheirar e ver essa casa!
Parabéns!

Um beijinho!

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 20:34

Hey...beijinhos??'

hummmm tens a certeza??
lol

quantos??

De tugafixe a 14.12.2007 às 21:31

Ups! Se calhar...só 1! Não quero apanhar com nenhum chinelo!

1 beijinho

De Lazy Cat a 15.12.2007 às 09:51

Sabes.....não costumo agradecer beijos com chineladas...ou não seriam minhas?!



Beijos Tuga.

De tugafixe a 15.12.2007 às 11:07

Tu percebeste!


Beijinho

De copo meio cheio a 14.12.2007 às 09:45

Gata...

Com esta tua contribuição, a responsabilidade de quem contínua vai aumentando.
Deliciosamente aumentando.

Beijo.

De Daniela a 14.12.2007 às 10:19

Ena gata!!! Excelente continuação!!! Está demais, mesmo!

Um beijinho grande!

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 20:43

Olá Dani.
ainda bem que gostas....foi duro seguir o Carlos....

Beijo

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 20:42

Deliciosamente aumentando??'

Hummmm

Beijos!

De ______ a 14.12.2007 às 11:24

Este final não se avizinha fácil.

Beijinho meu eu...

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 20:37

Olá tu. Digo, olá eu.
Às tantas acabo por não saber bem....não fosse a distância fisica ainda poderia achar que sou tu, meu eu.
Bah! Esta gente não existe!

dificil?? para ti? tá bem Ki!

De Sofia a 14.12.2007 às 13:24

Continuar a história começada pelo Carlos não era nada fácil. Conseguiste-o com a tua escrita fluída e uma fabulosa capacidade descritiva. Isto promete! Promete muito! Os meus sinceros parabéns! Estou deserta para ler a continuação. :)

De Lazy Cat a 14.12.2007 às 20:40

Xi....quase me deixas sem palavras!
verdade que era dificil, aliás, não demorei por acaso, além da falta de tempo, reconheço que não sabia como pegar na escrita do Carlos. Ainda bem que gostaram.

...mas falta o Carlos. Ainda quero ver o que vai achar do que lhe fiz ao texto.

De charlesanjo45@gmail.com a 14.12.2007 às 21:16

Maravilha de texto. Gostei mesmo muito, Gata. Assim vale a pena...

De Lazy Cat a 15.12.2007 às 09:52

Assim vale a pena sim!

Obrigada

De Carlos Lopes a 14.12.2007 às 21:26

Voltei mais uma vez, porque reli o teu texto e tinha de ser...
A verdade é que o teu texto está mesmo muito bom. Eu ensino literatura, como se calhar deves saber, e este teu texto É literatura. Não estou aqui a puxar de pergaminhos que não tenho para validar este comentário, mas é uma maravilha ver alguém escrever com a tua sensibilidade. É uma escrita feminina, límpida, transparente. Bonita, muito bonita, deliciosamente bonita. Só quando se ama as palavras conseguimos fazer delas o que queremos...

De KI a 14.12.2007 às 22:57

God! Se tinha medo... fiquei em pânico!

Acho que vou ter varicela qd for eu...

De mnike30 a 14.12.2007 às 23:18

Ki...zinha,
vai preparando a varicela, então, porque o Zé já postou... e quem é a seguir, quem é?
Ah...pois!
Já agora, é escusado avisar a Gata, não é? lol

Beijinhos para ti e para a Gata

De Lazy Cat a 15.12.2007 às 10:01

Ki...zinha!

Vá lá....sempre ficaram uns beijos para a gata.....

Menina Mnike marota.....e não, não vale a pena, não é?!

Beijos....sem arranhadelas.

De Lazy Cat a 15.12.2007 às 09:59

Varicela....bem podes.

Não me aprece que te aguarde tarefa fácil..e tu sabes, porque pensas como eu, não é meu eu?


Beijos preventivos. (AH....roubei a deixa a alguém)

De Lazy Cat a 15.12.2007 às 10:03

Ai Carlos......agora sim....

já fiquei pasmada, a olhar para o pc...tanto que as letras se transformaram em linhas bailarinas...e continuo sem saber que responder a isto.

Obrigada é muito pouco, descrever tudo o que senti ao ler-te até chegar aqui pode ser demais....

Vou ficar por me sentar a lamber bigodes, enquanto releio....deliciada...

De Carlos Lopes a 15.12.2007 às 10:18

Não tens de agradecer, gata. É sempre um prazer...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog