Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Geada

por Lazy Cat, em 03.10.09

 

De onde quer que pousasse os olhos saltavam pequenos brilhos, frios e cintilantes.À luz parca da lua, a geada era magia, e onde quer que ela tocasse, tudo refulgia.Perto da casa, iluminada por um grande poste de luz esbranquiçada, toda a erva macia era um manto de prata que brilhava. Nunca sabia o que a trazia assim à rua.
 
Em pequena acreditava que era o feitiço da lua. Mas tinham passado muitos anos e ainda agora, a intervalos inconstantes, dava consigo descalça e meia nua, a olhar maravilhada para a dança interminável da geada e da lua. Não sentia o frio que se lhe entranhava nos pés, nas mãos, que lhe fazia sair da boca nuvens brancas de respiração. Não sentia o vento fresco que lhe gelava a cara e enrolava o cabelo. Nada disto era importante aparentemente e no entanto… algo a tinha trazido mais uma vez à rua.
 
O tumultuo no peito, o zumbido nos ouvidos, a confusão interior, tudo. Tudo parecia desvanecido. Havia apenas geada, e raios de luar que lhe soltava o brilho. Lembrou-se da encosta, do outro lado da colina, e da sua erva curta e macia descendo até ao riacho, em ondas plácidas de harmonia…
 
.
.
.
 
 


Photobucket

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA

publicado às 12:04


1 comentário

De A. Decker a 28.11.2009 às 06:53

Nice. I feel the cool air in my face, in my chest...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog