Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



--da-----d---iv--a-------

por Lazy Cat, em 01.06.12

Que o meu beijo, que te aconchega o adormecer

Não impeça outros braços de te aquecer

Que os meus bons dias, sussurrados em surdina

Sejam um leve aroma a flores

Que o vento te traz, empurrando a cortina.

Que nas noites em que te procuro, e não te consigo

Encontrar, tenhas outros pés nos teus

Entretidos a sonhar.

 

Que as corridas se façam calma, que o teu coração

Encontre enfim onde repousar. Trago-te pendurado

Ao peito, preso por um fio de encantar,

Tens-me gravada na perna, marcas eternas

De almas e de vidas que não se conseguem separar

Façam o tempo e a vida piruetas, façam tudo sem parar

Apart for a million years, a million hands, a million smiles

I will know yours and you will know mine.

My dearest love: Fair well and Good Bye.

 

 

publicado às 11:59


3 comentários

De Gost a 11.06.2012 às 18:08

Gravado está na minha alma, gravado a fogo.
Foi gravado com um ferro em brasa.
Mas não é o nome de ninguém
A gravação que leio todos os dias é
"Desleal"
Como poderemos viver sem lealdade?
Melhor será esquecer um amor
Que sabemos ser um engano
Saber que um amor seria o lugar onde se encontra
Carinho, descanso e tudo que não há em mais lugar algum
E saber que quem amamos não tem isso para dar
Amor não são palavras, são actos.
Quando os actos negam o amor...
É o caminho para chegar à loucura
Esteve muito perto
Até ao dia em que percebi
Percebi que tinha sido um tolo
Percebi que só um homem muito apaixonado
Pode sofrer tanto
Mas tanta paixão também turva a vista
Perdemos a noção do que se passa
Até que um dia acordamos de um sonho mau
Olhamos à volta e vemos
Que não temos o direito sobre ninguém
Que não podemos esperar que os outros sigam
Os princípios pelos quais nos regemos
Perceber que todos têm direito as suas opções
Que a revolta e a dor, foram em vão
Mas existiram, e com que força
Porque? Porque amava
Porque de repente o mundo caiu à minha volta
Um pequeno mundo no qual cria acreditar
Um mundo por vezes confuso, mas era um mundo
Mas o mundo real consegue sempre ser mais forte
Do que qualquer mundo que se construa
Cada pessoa deve ter o direito ás suas opções
As pessoas não têm que ser o que nos acreditamos serem
As pessoas têm diferentes valores
O choque de descobrir que existem valores tão diferentes é terrível.
E sim assim o é, simplesmente é um vir ao mundo real
Custa tanto enfrentar a realidade das coisas
Lutamos, sofremos para subir a uma montanha de mão dada com alguém
Quando pensamos estar a chegar ao topo
Depois de tanta pedra, depois de desistir
Depois de retomar, de sofre, de nos rebaixarmos
Depois de tudo o que achamos ser menor
Pois cremos que subir à montanha com aquela pessoa é o sonho da nossa vida, o nosso destino
Depois disso, de repente, percebemos que não
A mão que justifica tudo abre-se, pega em nós e atira-nos para longe para baixo, com toda a força
Um queda louca, em que sabemos que estamos a cair e que vamos ficar mesmo magoados
Porque?
:)
Porque aquela mão era eu quem a segurava
Aquela mão nunca segurou a minha
Durante a queda gritei, sofri e só via aquele olhar
Aquele olhar de quem podia estar a olhar para uma parede
Sem sentimento, sem se importar
Grande queda, foi quase fatal
Depois
Depois levantei-me, depois de cair durante muito tempo
Sacudi o pó da minha roupa amarrotada
A luz à minha volta cegava-me
Percebi que a queda foi feita numa escuridão que a noite não se atreve a ter
Quando finalmente consegui abrir os olhos
Estava no meio de um campo de flores
Um imenso campo, lindo
Olhei à minha volta, a montanha tinha desaparecido
Aquela mão que tanto tempo segurei tinha desaparecido
Os gritos, a dor, o ódio, tudo tinha desaparecido
Onde estaria eu?
Será que morri e não dei por nada?
Sorri
Já não me lembrava como o sol é bom
Senti o calor do sol a envolver-me
Senti-me aconchegado pelo sol, acarinhado pelo vento
Virei costas e segui o meu caminho
Caminho esse que farei caminhando
Sempre com um sorriso
O que aconteceu aquela que estava na montanha?
Aquela que quando me viu cair pela montanha abaixo
Não me segurou, não me ajudou
Aquela que me fez cair?
:)
Pois essa eu não sei
Voltei a ver alguém que me fez lembrar dela
Mas não era ela, como me lembro
Alias, já não sei se me lembro
Porque não sei se tudo não passou de um sonho
Será que era um sonho e acordei quando estava a cair?
Seja como for, foi um sonho bom
Um sonho que sonhei sozinho
Um sonho em que um dia existiu uma mulher
Uma mulher pela qual me perdi
Uma mulher pela qual teria dado a minha vida
Uma mulher que me fazia suspirar
Uma mulher que me fazia sonhar
Uma mulher que me fazia amar
Quando cai da montanha
Percebi que ela não me fazia nada
Eu é que fazia tudo
Não passava de imaginação minha
Ela simplesmente existia
Não tinha que fazer mais nada, tal era a paixão que lhe tinha
Voltei atrás dia a dia, semana a semana, mês a mês
Finalmente percebi
Quando damos e não recebemos
Só podemos esperar que nos empurrem da montanha abaixo
Na minha perna não está gravado o nome dela
Ela não existe e não sou talhado para fazer homenagens póstumas.
Mesmo sabendo que foi tudo uma alucinação, guardo aquela que imaginei existir, no meu coração.




De Lazy Cat a 12.06.2012 às 00:40


नमस्ते

De Gost a 12.06.2012 às 11:03


Que caracteres tão bonitos.
Se alguma vez te tivesse compreendido
Agora ficaria preocupado por não compreender
Como nunca soube quem eras
Fico pela beleza dos caracteres

Curiosidades :
- O meu texto anterior tem exactamente 4300 caracteres :)
- A minha relação com maior duração durou 1300 dias (já descontando um intervalo perto do fim).
- 150 dias foi o tempo que durou a ressaca dos 1300 dias anteriores
- 18410 dias é o tempo que ainda tenho de vida
- 18410 dias é o tempo que vou ser feliz :)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog