Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


sem cuidado

por Lazy Cat, em 10.12.13

à boca cheia

sem o menor cuidado, 

à dentada, 

sem nada premeditado

sem planos, sem dias, sem horas, 

sem regras e sem demoras. 

 

é a vida. assim. digna de ser vivida. 

publicado às 11:41

nada foi em vão

por Lazy Cat, em 14.11.13

nada foi em vão 

porque contigo aprendi

tristeza e perdão

 

nada foi em vão 

porque contigo vivi

ódio, fúria e paixão

 

nada foi em vão

porque em ti descobri

o tamanho do meu coração

 

não

nada foi em vão

 

 

 

 

 

 

 

 

imagem

Tags:

publicado às 15:51

não-querer

por Lazy Cat, em 07.10.13

neste não-querer querendo dos dias que vão passando,

finjo não querer o teu amor, com que vou sonhando.

 

não te quero porque não me amas,

e eu quero quem me amo tanto tanto

que perca o resto do mundo todo o encanto, 

enquanto nos perdemos em chamas...

 

neste não-querer querendo, nesta lenta contradança vazia

cresce o espaço para outro abraço, na madrugada fria. 

 

publicado às 10:27

41 (dias ou meses ou anos)

por Lazy Cat, em 04.10.13

outros dias são as palavras, as ditas, as não-ditas, as caladas. 

noutros, ainda, são as feridas, as grandes, as pequenas, as marcas da vida. 

e em quase todos é como um turbilhão, que me apanha e me tira os pés do chão

e me faz perder todas as certezas e toda a razão. já não dói tanto. mas...

 

outros dias são os sorrisos, os olhos felizes, as mãos que se prendem pelo caminho

noutros dias são os passos seguros, uns frescos outros maduros, aos pares.

e em quase todos é o teu nome e o teu cheiro, é o teu olhar meigo tudo quando desejo

e no entanto se o pudesse ter, diria certamente que é tarde e "não tem jeito" 

 

neste dia, esquecer tudo isto é o meu único desejo. seguir, sem ti, sequer em pensamento. 

publicado às 08:56

ab imo pectore

por Lazy Cat, em 13.09.13

Não, não digas nada. Deixa que o tempo e o silêncio se façam palavras.
Que as mãos se encontrem, deixa que tudo seja nada.

Não, não digas. Deixam que os olhos contem histórias sem tempo
que se veja sem filtros, se ouça apenas o que vem de dentro.

Não digas, não é preciso. Eu sei. Eu ouço e sinto. Eu acredito.
Não digas. Deixa que neste silêncio, ora doce ora aflito, o mundo se detenha.
que tudo seja exactamente quanto possa e queira.

Não digas. Não há como. As noites, os dias, as madrugadas.
Abraça-me. Não digas nada.



sem título- in diário de Uma Paixão que o Amor não deixa morrer. 11/06

publicado às 10:52

quem sou eu

por Lazy Cat, em 02.09.13

para julgar a tua vida, a tua dor, as tuas feridas? quem sou eu para julgar as tuas escolhas, o teu caminho? para julgar o que fazes e com quem, para falar do que não sei. sim, do que não sei! não sou ninguém. 

 

 

nem para falar de amor, nem para falar de paz. nem para te servir de ombro, almofada, ouvido. nem para saco do teu lixo, aliás, do lixo que vais colectando por aí! 

 

por isso, ouço e estou calada. por isso, sei, mas não digo nada, por isso e só por isso, amo-te e sei-me amada. porque há no Amor uma integridade latente, como se lhe fosse impossível não ser, no seu máximo expoente, um farol, constante e consistente. 

publicado às 11:03

form-atados

por Lazy Cat, em 29.03.13

para ser e querer e persisitir

num padrão que não serve a alma

condicionados

a manter e ter e permitir

situações que nos roubam a calma

atados

nem pela forma nem pela razão

amarrados

sem qualquer corda, só coração

Tags:

publicado às 13:44

343

por Lazy Cat, em 23.01.13

Hoje não estou.

Não batam à porta, não telefonem, não me procurem.

Nos meandros da minha mente há um coração que palpita

Que se agarra, que se afoga, que no silêncio mais absoluto

Apenas grita e grita….e grita…

 

Não estou. Nem quero estar. Hoje a vida pesa mais do que devia.

Quero ficar perdida em mim, na minha mente, na minha dor.

Esquecer que existe vida para além do que sinto, vida, qualquer

Vida para além da vida deste pequeno grande frágil amor.

 

Hoje não estou. Mas estou onde interessa. Onde é preciso estar.

No único lugar onde a vida se esvai depressa, o amor se conjuga

Devagar. Hoje não quero, fechei a porta. Há momentos em que o

ar que se respira corta, fere, arranca. É amar-te que me mata. 

 

  

publicado às 11:24

Te Quiero

por Lazy Cat, em 27.06.08

 

Te quiero

Y no sé como decirlo

Me huyen las palabras,

Se parten como un hilo

 

Te quiero

Aunque no sepa enseñarte

El color de mi alma

Que se duele de amarte

 

Te quiero

Como me quiero a mi

Como no se quiere a nadie

Sino yo te quiero a ti

  

 

Photobucket

 

 

 

 

Letra da música

publicado às 16:13


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Posts mais comentados