Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Entre tu(do) e nada

por Lazy Cat, em 24.09.07

 

 

Entre o teu nada e o meu nada

Aparece de repente um tudo

Feito de mágoa e de doer profundo.

 

Entre o teu nada e o meu nada

Ruge feroz um grito mudo

Feito da tua espada e do meu escudo

 

Entre o teu nada e o meu nada,

Anda muito devagar o tempo

Que a esta guerra-fria dá sustento

 

Entre o teu nada e o meu nada

Esquecemos que fomos uno

De olhos postos no mesmo futuro

 

Entre o teu nada e o meu nada

Há milhões de estrelas caídas

Entre retalhos das nossas vidas

 

Entre o teu nada e o meu nada

E tudo o que os medeia

Morre uma pálida e gasta ideia

 

Entre o teu nada e o meu nada

Desvanece o que fomos

Esfumam-se devagar os sonhos

 

Entre o teu nada e o meu nada                                                        

Já não existe uma estrada

Apenas um rio de água gelada

 

Entre o teu nada e o meu nada

Vivem apenas segredos

Velhos recados, eternos medos

 

Entre o teu tudo e o meu tudo

Com ar de nada

Demos o nosso melhor ao mundo

 

publicado às 23:23


1 comentário

De V.A.D. a 25.09.2007 às 02:02

E o que somos, para além do nada? Somos pensamento e sentir, somos gritar e rugir... Mente alerta, do corpo desgarrada... Sendo tudo, não somos nada...

Um beijo... :-)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog